Internet das Coisas: a vez das operadoras?

Imagem Internet das Coisas: a vez das operadoras?

Tecnologia

Autor foto Virtueyes

Virtueyes

25/06/2018

A Internet das Coisas foi a grande vedete das discussões durante a Futurecom, maior evento da área de telecomunicações brasileira, encerrado na semana passada em São Paulo.


As operadoras, de acordo com esse ponto de vista, teriam aprendido as lições ensinadas pelo fenômeno das chamadas OTTs, empresas que oferecem serviços de vídeo, áudio e outras mídias pela internet, fazendo uso da infra construída pelas operadoras ao mesmo tempo em que canibalizam a sua receita.


Serviços como Netflix, WhatsApp, Hulu e todo tipo de ofertas de VoIP estariam em processo de fazer desaparecer US$ 386 bilhões de receita entre 2012 e 2018, mantendo uma média de crescimento anual de 20%, de acordo com dados da consultoria especializada Ovum.


?Para termos um share de mercado justo, precisamos sair do modelo baseado em conectividade. O ecossistema tem que mudar?, defende Amos Genish, presidente da Vivo. ?Não podemos cometer com o IoT o erro que cometemos com as OTTs?, agrega.